«Você gosta de se mascarar de chaminé ou é apenas candidato a morto?»


LauraBM @ 16:46

Qua, 25/06/08

lanterna_policia.gifLaura DeMatteis, BA, CAc., RMT, Holistic Health Practitioner

As previsões são terríveis, os numeros são assustadores.
A Doença de Alzheimer é agora a causa mais comum de demencia em pessoas com mais de 65 anos. As previsões sobre o futuro da população envelhecida com Doença de Alzheimer são em números de milhões.
Se vc viver até aos 85 anos as suas possibilidades de desenvolver demência grave pela Doença de Alzheimer (DA) são de 50%. Os nossos cientistas e a comunidade médica dizem-nos que não há cura, não há prevenção. As razões científicas para esse potencial de aumento desta doença devastadora é porque estamos com vida mais longa, no entanto, comparando as percentagens de pacientes com DA nos anos passados, não está relacionada com os números da população. O número de pessoas afectadas por esta doença cresceu rapidamente nos últimos 30 anos a um nível alarmante.
Pode não haver cura e a questão continua na prevenção, mas há uma enorme evidência de uma causa provável, ignorada pela indústria farmacêutica.
Ignorada porque os sistemas ocidentais médicos não levam em conta a ingestão dos nutrientes e os efeitos dos químicos ingeridos na alimentação.

Vejamos alguns factos da alimentação nos últimos 30 anos.
Em 1970 o aspartame foi introduzido em alimentos sob a forma de NutraSweet. O aspartame é uma excitoxina, que a coloca na categoria das neurotoxinas. As neurotoxinas matam as células do cérebro. O aspartame é acumulado no sistema e é fácilmente absorvido pelo hipocampo e pelo hipotálamo, porque eles não estão protegidos por barreiras no sangue do cérebro.
As pesquisas mostram que estes dois componentes essenciais do cérebro são os mais afectados na DA. Duzentos milhões de americanos consomem mais de 5.000 produtos contendo 15.000 toneladas de aspartame por ano. Isso traduz-se em 30 milhões de libras (peso) de um assassino cerebral.

Nos anos 70, quando a industria do fast food começou a crescer no mercado o uso de MSG começou a sua subida insidiosa no nosso fornecimento alimentar. O MSG é também uma excitoxina, outro assassino cerebral. O MSG é uma droga química aditiva que cria dependência a certos alimentos. É usado na investigação médica para criar obesidade nos ratos. O MSG não tem valor nutricional, não é um alimento. É um intensificador de sabor. Faz com que comida inadequada saiba bem.
O MSG começou a ser introduzido no fornecimento alimentar em lares para estimular os idosos a comer mais comida. A maior parte dos alimentos e mais de 90% do fast food tem altas doses de MSG, uma neurotoxina. O MSG é ocultado sob diversos nomes porque o consumidor começa a estar esclarecido e evita estes químicos tóxicos.
O MSG está escondido nos ingredientes dos alimentos tais como a proteína hidrolizada, HVP (proteina vegetal hidrolizada), caseinato de cálcio, extracto de milho, caseinato de sódio, gluten hidrolizado de trigo, milho hidrolizado. Se estes estiverem na listagem dos ingredientes da sua comida vc está a ingerir MSG.
São produzidas 1 milhão e meio de toneladas de MSG anualmente para consumo global deste assassino cerebral.

O Mercúrio, outra neurotoxina e assassino cerebral é encontrada no nosso fornecimento alimento em níveis alarmantes. O Mercúrio, tal como o Aspartame e o MSG, também destrói os nuronios cerebrais. As mulheres grávidas e as crianças são avisadas para não consumir peixe. É bombeado para o nosso ar às toneladas por fábricas. O Mercúrio implantado nos nossos dentes infiltra-se no corpo. Injectamo-lo directamente no sangue através de algumas vacinas que damos aos nossos bébés e a qualquer pessoa que tenha tido um surto de gripe.
Um dos maiores cientistas de genética imunitária mundais, Hugh Fudenberg, fez um estudo entre 1970 e 1980. A sua investigação encontrou que os indíviduos que levaram cinco vacinas da gripe num período de 10 anos teriam desenvolveram 10 vezes mais a Doença de Alzheimer do que as pessoas que levaram apenas 1 ou 2 vacinas. Ele concluiu que os efeitos acumulativos no cerebro do mercúrio e do alumínio no cérebro causavam disfunções cognitivas.

As três neurotoxinas listadas acima são todas ingeridas ou injectadas na população diáriamente em quantidades tóxicas. O efeito acumulativo deste assalto aos corpos e cérebros da população americana é óbviamente devastador.
Considerem os efeitos ao longo da vida destes tóxicos químicos nas nossas crianças e o efeito na sua saúde mental futura. Todos os químicos acima são conhecidos por causarem disfunção cognitiva e estão implicados em problemas de comportamento como está demonstrado no ADHD - Transtorno do deficit de Atenção/Hiperatividade.

Pode não haver cura para a Doença de Alzheimer , mas prevenção?
Possívelmente. Parem de consumir estas três neurotoxinas e irão longe no sentido de evitar a Doença de Alzheimer.
----------------------
10/02/2008
Tradução: Sara Rafael
http://geocities.yahoo.com.br/jerusalem_13/sararafael.html
fonte: http://www.poisoninthepantry.com/article-avoidingalzheimers.html

Com todas as "porcarias" que nos obrigam a pagar para comer e beber, a humanidade é um milagre de sobrevivência...
E depois o governo ainda diz que o tabaco faz mal à saúde.


De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

SOMOS MUTANTES: Deepak Chopra

Bem vindos ao meu Blog.
Tentarei transmitir algumas dicas importantes, distraí-los e diverti-los também.
Os artigos do blog não são substitutos da consulta médica mas uma directriz, compatível com o discernimento de cada visitante. ===== Obrigada!
mais sobre mim
* Meter o nariz no blog...
 
*Antiguidades óptimas
links
subscrever feeds
blogs SAPO